Flexibilidade, até que ponto?

Cyndi ontem, postou em seu facebook um vídeo que mostra a flexibilidade de três bailarinas famosas e além disso, esses dias eu mostrei para uma pessoa os vídeos de três bailarinas fazendo o solo da Odette e perguntei qual que ela achava melhor. O primeiro que mostrei foi o da Zakharova e esta pessoa disse que prefere o primeiro porque tem maior flexibilidade. Daí com esses dois acontecimentos, achei importante expor o meu ponto de vista sobre o assunto.

Acredito que haja um limite. O bailarino para estar mais bonito em cena deve ser flexível com certeza, pois há alguns passos que exigem isso dele, um grand jeté, por exemplo. Mas será que flexibilidade em exagero é legal? Fica bonito em cena? Eu, particularmente, não acho que fique bonito. Da mesma forma que pouca flexibilidade não cai bem para alguns passos. Deve haver um equilíbrio, nem tão flexível e nem tão enferrujado.

Quanto ao que a pessoa disse, eu nem levei tanto em consideração, pois é uma pessoa que não faz ballet e não entende tão bem quanto aos que fazem. Mas isso me levou à uma reflexão. É a flexibilidade que faz um bailarino estar grande em cena? O bailarino só é bom por causa disso? É lógico que não. Tem vários fatores que engrandecem um bailarino. Os que eu acho mais importantes são a interpretação, a emoção (este é parte integrante da interpretação), a técnica e a tranquilidade (descontração).

Você não precisa ter uma perna que levanta 180° ou mais, se você está inseguro em cena ou se você não demonstra nenhum sinal de emoção. Igual a minha professora já disse, a gente deve pegar o público pelo olhar e pelo carisma. Não significa que deve-se desconsiderar a técnica, mas caso você errou algum passo, isso também colaboraria bastante.

O que eu quis dizer a vocês é que só a flexibilidade não faz  de um bailarino o melhor. Deve haver a correlação entre os pontos citados, um depende do outro, querendo ou não.

Link do vídeo citado no texto, aqui.

Anúncios
Post seguinte
Deixe um comentário

8 Comentários

  1. ana guedes

     /  31 de julho de 2011

    concordo com você, o bailarino (a) não deve ser enferrujado e nem elástico, deve ter um equilíbrio :)
    e tem que ter carisma, se não tiver ninguém vai aguentar assistir por muito tempo :)
    beijos e até!!

    Responder
  2. Não acho bonito muita flexibilidade. Faço cara de nojinho!
    Acho que chega um ponto em que vira contorcionismo, e não ballet. Eu tenho uma foto de um arabesque de uma menina ragada. Meu queixo caiu, mas não foi por achar lindo.

    Depois te mando.
    Beijocas

    Responder
    • nossa! falou tudo, Cyndi… concordo plenamente com sua fala: “chega um ponto em que vira contorcionismo, e não ballet”

      tá bom! eu quero ver…
      também tem uma foto que eu fiquei do mesmo jeito que você. Essa aqui:

      PS: nesse caso eu nem posso julgar muito, porque eu não sei o conteúdo do repertório apresentado… talvez tenha à ver com circo, então dá pra entender

      Beeeijos

      Responder
    • oh, mel deeels! o.O

      Responder
      • Jesus!!!! eu vi as fotos nossa fiquei abismada não é nada bonito.
        e ainda mais quando for fazer uma apresentação que tenha que fazer abertura tudo bem você fazer mais chega uma hora como sse menino ai que o movimento perde a beleza que tem.
        isso aconteceu quando eu vi uma foto da svetlana nossa horrivel

      • É, com certeza perde a beleza.
        Fotos da Svetlana são as mais comuns de se encontrar.
        Beeeijos

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: