O Casal no Jornal Hoje

Minha mãe que me avisou que iria passar uma entrevista dos dois no Jornal Hoje. Ah, desculpa! Não sabe de quem estou falando? É da Marianela e do Thiago. Um dos casais mais lindos do ballet clássico.

NOSSA! Eu nem fiquei doidinha quando vi, né?! E o Jornal Hoje ainda apresentou cenas de O Lago dos Cisnes (que eu nem gosto, né?!).

Quem falou mais foi o Thiago, a Marianela falou só uma frasezinha que eu nem entendi direito. E é como a narradora do Jornal disse: “A cumplicidade torna tudo mais doce.”

Quem perdeu e quer assistir, é só clicar aqui

E aqui, tem uma outra entrevista com o Thiago que eu encontrei ao acaso.

Olha que absurdo!


Legenda

Preto: Pessoa 1

Vermelho: Pessoa 2

Para ampliá-la, clique sobre a imagem.

Estão vendo a foto da menina chorando de tanta dor? Então, encontrei no Tumblr, foi de uma garota que eu sigo. Absurdo, não?

Tive que dar print. Antes, eu tinha visto somente a foto, mas ontem quando estava mexendo no meu Tumblr, vi esse comentário que a Pessoa 2 fez e a Pessoa 1 ainda deu reblog, ou seja, ela concorda com o que foi dito. Antes, um outro dia, eu tinha visto um comentário da Pessoa 1 dizendo que é à favor disso. Eu não preciso nem dizer qual é a minha opinião, né?

Eu concordo que para você ter uma boa flexibilidade é preciso fazer alongamentos e mais alongamentos, porém é judiação fazer isso com uma criança. Sem contar com os futuros problemas que ela poderá adquirir ao longo de sua vida, pois querendo, ou não, eu, por exemplo, que não tenho nem um terço da flexibilidade daquela garota, e com certeza, não faço um terço dos exercícios que ela faz, às vezes, quando estico a minha perna direita completamente, sinto uma dor no meu joelho (tenho que ficar de olho nisto, porque pode piorar, né?). O que eu quis dizer, é que os problemas que ela possivelmente terá, serão muito mais graves que os meus.

Outra ponto que eu não poderia deixar de citar aqui, é o fato de tanto a Pessoa 1 quanto a Pessoa 2 quererem ter tido alguém para fazer o mesmo que foi feito com a menina da foto. Então, de duas alternativas, uma. Ou elas não têm paciência para fazerem exercícios aos poucos, com maiores cuidados, ou então elas são masoquistas. Não tem lógica alguém achar aquela foto bonita, muito pelo contrário, ela é triste.

E não é querendo falar mal da Svetlana Zakharova, mas a flexibilidade dela não me emociona não, o que me emociona é o sentimento, a emoção que as bailarinas colocam em suas personagens. Não adianta nada ser flexível ao extremo e não demonstrar um pingo de emoção. PS: Eu não estou falando mal da Zakharova, é só que ela não é tanto sentimento, ela é mais corpo.

Nova Descoberta

Assistindo Giselle pelo YouTube, encontrei o site Balletoman, no qual disponibiliza-se várias músicas  e vídeos de ballet completos. Quanto aos vídeos, é possível baixar como assistir online, a escolha é sua.

Amei o achado, porque eu prefiro baixar pra ter sempre comigo do que assistir online. Por mais que já tenhamos mais acesso à assuntos relacionados ao ballet, é sempre bom ter uma “carta na manga”. Talvez o que encontramos em um site não tenha no outro ou vice e versa.

A vitória das irmãs Mayara e Mayanie Magri

Antes de tudo, desculpem a falta de posts decentes e com frequencia. Eu realmente estava sem ideia pra escrever no blog, mas me apareceu uma oportunidade e aqui estou eu.

Ontem eu estava olhando a página do G1 pra ver se havia alguma notícia que me interessasse e me deparei com uma no qual eu fiquei muito feliz.

Todo mundo já deve ter ouvido falar sobre a Mayara Magri. Não? É uma bailarina brasileira de 17 anos, simples e que já ganhou mais 50 competições aqui no Brasil e 3 fora, no qual deve-se incluir o Prix de Lausanne. E ela possui uma irmã que também faz ballet (isso eu não sabia) e tem 15 anos de idade.

A boa notícia, que nem é tão nova assim, é que ambas as duas irão morar fora para estudar ballet. A Mayara vai para a Royal, na Inglaterra, e a Mayanie vai para John Cranko School, na Alemanha.

Muito bom receber esse tipo de notícia, né? Para ficar sabendo sobre a entrevista é só ver o vídeo abaixo:

Fonte: aqui

Flexibilidade, até que ponto?

Cyndi ontem, postou em seu facebook um vídeo que mostra a flexibilidade de três bailarinas famosas e além disso, esses dias eu mostrei para uma pessoa os vídeos de três bailarinas fazendo o solo da Odette e perguntei qual que ela achava melhor. O primeiro que mostrei foi o da Zakharova e esta pessoa disse que prefere o primeiro porque tem maior flexibilidade. Daí com esses dois acontecimentos, achei importante expor o meu ponto de vista sobre o assunto.

Acredito que haja um limite. O bailarino para estar mais bonito em cena deve ser flexível com certeza, pois há alguns passos que exigem isso dele, um grand jeté, por exemplo. Mas será que flexibilidade em exagero é legal? Fica bonito em cena? Eu, particularmente, não acho que fique bonito. Da mesma forma que pouca flexibilidade não cai bem para alguns passos. Deve haver um equilíbrio, nem tão flexível e nem tão enferrujado.

Quanto ao que a pessoa disse, eu nem levei tanto em consideração, pois é uma pessoa que não faz ballet e não entende tão bem quanto aos que fazem. Mas isso me levou à uma reflexão. É a flexibilidade que faz um bailarino estar grande em cena? O bailarino só é bom por causa disso? É lógico que não. Tem vários fatores que engrandecem um bailarino. Os que eu acho mais importantes são a interpretação, a emoção (este é parte integrante da interpretação), a técnica e a tranquilidade (descontração).

Você não precisa ter uma perna que levanta 180° ou mais, se você está inseguro em cena ou se você não demonstra nenhum sinal de emoção. Igual a minha professora já disse, a gente deve pegar o público pelo olhar e pelo carisma. Não significa que deve-se desconsiderar a técnica, mas caso você errou algum passo, isso também colaboraria bastante.

O que eu quis dizer a vocês é que só a flexibilidade não faz  de um bailarino o melhor. Deve haver a correlação entre os pontos citados, um depende do outro, querendo ou não.

Link do vídeo citado no texto, aqui.